Estrutura do Balanço Patrimonial do Rio Grande do Sul

Estrutura do Balanço Patrimonial do Rio Grande do Sul
19/09/2018

Você sabe o que é um balanço patrimonial? Esse documento tem como objetivo reunir todos os registros do que é realizado na empresa, como questões financeiras, administrativas, entra outras. Por isso, é muito importante entender como é feita a estrutura do balanço patrimonial do Rio Grande do Sul. 

De modo geral, o balanço não difere em outras regiões. A seguir, você confere mais sobre o assunto.

Como é feita a estrutura do balanço patrimonial do Rio Grande do Sul?

Para responder a pergunta “como é feita a estrutura do balanço patrimonial do Rio Grande do Sul?”, separamos alguns itens que não devem faltar neste arquivo. São eles:

  • nome da empresa;
  • cadastro nacional de pessoa jurídica (CNPJ);
  • número de identificação do registro de empresas (Nire);
  • ativos: todos os bens e direitos que a companhia possui (aplicações, itens de estoque, matéria prima, investimentos, entre outros);
  • passivos: obrigações perante a terceiros (fornecedores, prestadores de serviços, colaboradores, órgãos públicos);
  • líquido: levando em conta o lucro, prejuízo e injeção de capital;
  • demonstração de resultado do exercício, da origem e da aplicação;
  • demonstração das mutações do patrimônio líquido;
  • notas explicativas;
  • declaração de responsabilidade e confiabilidade das informações;
  • assinatura com nome, documento (RG e CPF), local e data.

De quanto em quanto tempo deve ser feita a publicação de um balanço patrimonial?

O balanço patrimonial deve ser realizado, de preferência, uma vez por mês. A atualização é de extrema importância, pois em um mês diversos aspectos podem alterar, principalmente quando falamos sobre uma empresa. 

Segundo o artigo 176 da Lei 6.404/76 (Lei das Sociedades por Ações), as demonstrações de cada exercício devem ser publicadas indicando os valores que correspondem às demonstrações do ano anterior. Isso é para facilitar a comparação dos dados fornecidos. 

É importante para analisar quais gastos estão aumentando, o que conseguiram economizar, se é necessário realizar alguma mudança, propor melhorias e para manter um rígido controle sobre a situação financeira da companhia.

A ajuda de um contador é necessária?

Para a realização da estrutura do balanço patrimonial do Rio Grande do Sul, obter ajuda de um contador não é algo obrigatório. Porém, contar com a orientação de um profissional como este é algo bastante viável. 

Por vezes, quem realizará o balanço na empresa é uma pessoa já atarefada, que precisa gerenciar diversas outras questões e áreas da instituição. Por isso, falhas e equívocos podem acontecer. Além de que, um contador tem mais experiência com a realização deste documento. Portanto, um profissional contábil  pode ser a melhor opção!

Aproveite e confira como fazer a análise do balanço patrimonial. Continue acompanhando o E-Diário para mais informações!

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode se interessar por

Veja mais