Padrão Internacional de Contabilidade — Saiba Como Se Preparar

Padrão Internacional de Contabilidade — Saiba Como Se Preparar
05/09/2019

Em 2007, a Lei 11.638 trouxe mudanças bastante significativas para a contabilidade brasileira, uma vez que a área se adequou ao padrão internacional de contabilidade, o International Financial Reporting Standards (IFRS). O objetivo é reduzir os diferentes critérios e unificá-lo em um só, simplificando-o de acordo com o padrão mundial.

Confira abaixo, alguns pontos importantes sobre a mudança!

O que significa padrão internacional de contabilidade?

O padrão internacional de contabilidade, ou IFRS, é um conjunto de normas de contabilidade internacionais com o objetivo de padronizar as demonstrações financeiras, a fim de compará-las — as seguintes demonstrações — entre diversos países.

Quais foram as principais mudanças?

Antes de mais nada, é importante ressaltar que o processo de implementação do padrão internacional respeitou  todas as características legais e societárias do Brasil. Portanto, muitos pontos foram adaptados para a realidade do país.

Entre as principais vantagens da harmonização contábil, podemos citar:

  • padronização de normas;
  • redução de complexidade;
  • mais segurança e entendimento sobre os mercados externos.

As empresas brasileiras, por sua vez, tiveram que atender às novas regras. De maneira simplificada, o IFRS aplica nas informações contábeis os tratamentos específicos para que o gestor da empresa possa entender a finalidade de determinadas informações. Por exemplo, informações sobre a tomada de decisão. Agora é mais fácil entender se ela está a favor da empresa e não para fins fiscais. Deu para compreender? 

Quais empresas devem adotar o IFRS?

De acordo com a Lei 11.638/2007, as Sociedades Anônimas e Empresas de Grande Porte tiveram que aderir a harmonização contábil desde 2008. Em 2010, as Pequenas e Médias Empresas passaram a atender às regras da IFRS. 

Já para as Microempresas, em 2012, o Conselho Federal de Contabilidade criou o Modelo Contábil para Microempresa e Empresa de Pequeno Porte, com o intuito de criar padrões contábeis com base nas normas do IFRS. 

Como inserir o novo padrão dentro da minha empresa?

De acordo com as novas normas contábeis, o contador responsável pela escrituração deve elaborar o Balanço Inicial de Transição e revisar os valores dos ativos e passivos da empresa. Além disso, outras informações sobre esses valores devem ser estruturados, como:

  • nenhum item deve ser reconhecido como ativo ou passivo se o IFRS não permitir o reconhecimento;
  • a reclassificação de itens reconhecidos, de acordo com as práticas contábeis, se constituem em um tipo diferente de ativo, passivo ou componente de patrimônio líquido; 
  • o IFRS deve ser aplicado na mensuração de todos os ativos e passivos reconhecidos.

Gostou de saber um pouco mais sobre o assunto? Para mais temas assim, continue acompanhando as matérias do E-Diário Oficial!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode se interessar por

Veja mais