Gestão Fiscal — Como Otimizá-la No Seu Negócio?

Gestão Fiscal — Como Otimizá-la No Seu Negócio?
04/03/2020

A gestão fiscal é uma demanda comum no ambiente organizacional de todas as empresas. Porém, muitos empreendedores ainda não sabem como elaborar um planejamento adequado para a sua gestão e lidar com todas as burocracias e formalidades. 

No artigo abaixo, nós vamos te mostrar o que é e como funciona esse conceito. Confira caso queira atrair sucesso de forma simples e rápida para o seu negócio!

O que é gestão fiscal?

A gestão fiscal nada mais é do que a junção de métodos administrativos para simplificar e facilitar o cumprimento de questões tributárias de uma empresa. 

Essas questões obrigatórias podem ser divididas em duas modalidades diferentes:

  • obrigações acessórias: atendem as atividades e exigências do fisco — envio de relatórios, arquivos, registros, informes, entre outros. O e-Social, por exemplo, é uma dessas obrigações administradas por essa gestão;
  • obrigações fundamentais: dizem respeito à apuração e quitação de tributos — impostos, taxas, contribuições gerais, entre outros. 

É importante saber que toda essa administração tributária e fiscal influencia diretamente na saúde financeira da empresa, assim como nos rendimentos e distribuição de recursos. 

3 dicas para otimizá-la no seu negócio

Sabendo que existe uma série de demandas fiscais, tributárias e contábeis, é interessante aprender como otimizar a gestão fiscal do seu negócio. Separamos três dicas para você implementá-las hoje mesmo. Veja só:

1. Faça gestão dos seus documentos

Uma boa gestão de documentos contábeis é fundamental para diversos fatores internos, como a atualização periódica dos registros financeiros e da escrituração da empresa, por exemplo. Além disso, ela é imprescindível para evitar esquecimentos ou erros de lançamentos. Ou seja, serve como uma ferramenta base de histórico de registros.

O SPED (Sistema Público de Escrituração Digital), por exemplo, promove um nível de fiscalização alto, digital e com margem mínima para erro na prestação de contas. 

2. Realize auditorias internas preventivas

Independentemente do seu porte ou segmento de mercado, as auditorias internas são interessantes para evitar possíveis contratempos na gestão fiscal, uma vez que a prática previne erros no cumprimento de obrigações fiscais e tributárias e o não pagamento de impostos. 

3. Reveja o seu enquadramento tributário

Como é o enquadramento tributário adotado pela sua empresa hoje? Lembre-se que ele deve ser adequado ao perfil de negócio, número de funcionários e segmento de atuação. Há três modalidades existentes no Brasil:

  1. Simples Nacional;
  2. Lucro Real;
  3. Lucro Presumido. 

Cada uma delas tem um enquadramento específico para o perfil e atividades exercidas pela a organização. Fique atento!

Não deixe de acompanhar mais matérias como essa no E-Diário Oficial!

 

Por: Leonardo Silva

Nem tudo pode ser publicado no Diário Oficial da União (DOU) e do Estado (DOE) e o Leonardo entende bem disso. Com todo o seu conhecimento na área jurídica, ele sabe exatamente que tipo de conteúdo será aceito ou não na etapa de aprovação da matéria pela a Imprensa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode se interessar por

Veja mais