O Que É Um Contrato De Consumo E Como Elaborar?

O Que É Um Contrato De Consumo E Como Elaborar?

O contrato de consumo é um acordo jurídico firmado entre um fornecedor e consumidor, tendo em sua grande maioria das vezes, as características de um contrato de adesão. Regulamentado no Código de Defesa do Consumidor (CDC), o contrato de consumo  traz algumas proposições harmoniosas em relação às suas premissas. 

Desta forma, o contrato de consumo possui suas particularidades, não podendo ser  tratado apenas como uns dos demais contratos do direito civil.

Confira mais detalhes sobre o contrato de consumo  e como elaborar um de maneira correta.

O que é um contrato de consumo? 

Para iniciarmos essa explicação, primeiro é importante entender o que é uma relação de consumo. É a relação entre consumidor, fornecedor e produto.

Quando essa relação é constatada, as normas aplicadas são as descritas no CDC caso haja uma relação de consumo. Logo, a principal característica do contrato de consumo, sobretudo os de natureza de adesão, é a unilateralidade do acordo.

Como o contrato de adesão está previsto no próprio CDC, em seu artigo 54, ele define que “aquele cujas cláusulas tenham sido aprovadas pela autoridade competente ou estabelecidas unilateralmente pelo fornecedor de produtos ou serviços, sem que o consumidor possa discutir ou modificar substancialmente seu conteúdo”.

Para conseguir elaborar um contrato de consumo completo, deve haver alguns princípios que limitam o favorecimento do consumidor. Confira abaixo esses pontos em que o contrato de consumo deve ser elaborado:

Princípio da transparência

No CD, em seu art.46, há a descrição de que os contratos que regulam as relações de consumo não obrigarão os consumidores, se não lhes for dada a oportunidade de tomar conhecimento prévio de seu conteúdo, ou se os respectivos instrumentos forem redigidos de modo a dificultar a compreensão de seu sentido e alcance.

Logo, isso significa que o contrato de  consumo deve  conter cláusulas que permitam ao consumidor compreender de maneira didática sobre o conteúdo contratual. É necessário que a redação do documento seja suficientemente clara.

Princípio da preservação

Outro artigo define que a nulidade de uma cláusula abusiva não invalida o contrato. Assim, apenas a cláusula em questão será considerada nula, buscando-se a preservação do contrato de consumo.

Princípio da interpretação mais favorável ao consumidor 

Ainda dentro do CDC, o art.47 carrega que  as cláusulas contratuais serão interpretadas de maneira mais favorável ao consumidor. Desta forma, em casos de ambiguidade ou outros problemas nos contratos  a interpretação deverá ser a favor do consumidor, devido ao seu caráter de hipossuficiência.

Princípio da vínculo da vinculação pré-contratual 

O art. 48 do CDC pressupõe que “as declarações de vontade constantes de escritos particulares, recibos e pré-contratos relativos às relações de consumo vinculam o fornecedor”.

Isso significa que o contrato de consumo segue o princípio de que há estabelecimento de vínculo em pré-contratos, como no caso do compromisso de compra e venda.

Além disso,  para elaborar um contrato de consumo é preciso tomar cuidados especiais. Algumas das boas práticas são:

  • termos legíveis – deixar os termos legíveis de maneira concisa e clara, a fim de facilitar o entendimento por parte de outras pessoas;
  • cláusulas em destaque – deve ser redigido com destaque nas cláusulas que impliquem limitações de direito ao consumidor;
  • redação clara – é fundamental garantir uma redação clara, sem ambiguidades, sem lacunas e sem margens a divergências interpretativas.

Agora que você já sabe o que é necessário observar e saber ao se redigir um contrato de consumo, fique por dentro também dos Direitos Básicos do Consumidor na Internet!

Por: Leonardo Silva

Nem tudo pode ser publicado no Diário Oficial da União (DOU) e do Estado (DOE) e o Leonardo entende bem disso. Com todo o seu conhecimento na área jurídica, ele sabe exatamente que tipo de conteúdo será aceito ou não na etapa de aprovação da matéria pela a Imprensa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode se interessar por

Veja mais