Índices de Liquidez – O Que São E O Que Indicam?

Se você não é familiarizado com o tema de contabilidade e finanças da empresa, certamente não deve saber o que são índices de liquidez. 

Mas caso você seja um empreendedor, é importante acompanhar do que se trata esses números, afinal, eles estão diretamente relacionados à verificação de crédito de uma empresa. Saiba mais sobre o assunto neste artigo, boa leitura!

O que são índices de liquidez?

Os índices de liquidez são indicadores financeiros de análise de crédito e revelam quanto de recursos disponíveis uma empresa possui para quitar suas dívidas com terceiros. O cálculo é feito por meio de um quociente que relaciona os valores dos ativos e passivos de um negócio, ou seja, a relação entre o que gera dinheiro e o que despende. 

Para fazer o cálculo corretamente é indispensável ter o auxílio do balanço patrimonial. Isso porque, de antemão, já será possível analisar se a empresa possui um bom controle de seus fluxos de caixa e qual é o seu histórico financeiro. 

Como fazer uma análise do índice de liquidez?

Antes de aprender a fazer o cálculo de cada um dos índices de liquidez, primeiro, é necessário entender como eles funcionam. Confira:

  • resultado for maior do que um: a empresa possui folga para cumprir com suas obrigações;
  • resultado for igual a um: os valores à disposição da empresa se igualam às contas que ela tem para pagar;
  • se o resultado for menor do que um: se a empresa quitar todas as suas obrigações, não terá recursos suficientes.

Em resumo, quanto mais alto é o índice de liquidez  da empresa, mais tranquila tende a ser a saúde financeira da organização. 

Como calcular o índice de liquidez?

No geral, temos quatro tipos de índices de liquidez, sendo que cada um apresenta características e particularidades diferentes. Confira os detalhes: 

1. Índice de liquidez corrente

A liquidez  corrente mede a capacidade de pagamento de uma empresa em um curto prazo. Para calculá-lo,  é necessário dividir o ativo circulante da organização como o dinheiro em caixa e os estoques, por exemplo, pelo passivo circulante, como empréstimos, impostos e pagamentos a fornecedores.

A fórmula da conta fica assim: 

Liquidez Corrente = ativo circulante/passivo circulante

2. Índice de liquidez seca

A liquidez seca é similar ao primeiro, porém, este exclui os estoques do ativo circulante. Esse índice considera os valores que a empresa pode pagar em curto prazo, mesmo que não consiga vender o que já tem em estoque.

A fórmula é a seguinte: 

Liquidez Seca = (ativo circulante – estoque) /passivo circulante

3. Índice de liquidez imediata

Considera, apenas, a conta do balanço patrimonial, isto é, dinheiro em caixa, saldos bancários e aplicações financeiras de curto prazo. Os estoques são excluídos da conta. Porém, atenção: ter este indicador alto não significa que a empresa tem um bom controle financeiro!

Faça essa fórmula para descobrir a liquidez imediata: 

Liquidez Imediata = disponível/passivo circulante

4. Índice de liquidez geral

Diferentemente dos anteriores, dá visão em longo prazo. Em suma, a conta acrescentará os direitos e as obrigações da empresa para um prazo mais estendido. Por exemplo, se a organização fez um empréstimo com grande quantidade de parcelas, não será necessário quitar agora.

Para encontrá-lo, use a fórmula:

Liquidez Geral = (ativo circulante + realizável a longo prazo)/(passivo circulante + passivo não circulante)

Entender como realizar uma análise do índice de liquidez é muito importante para avaliar os riscos ao fazer um determinado investimento. Por isso, saiba também como fazer uma gestão tributária sem preocupações.