Fluxo Circular de Renda: Entenda Como Funciona

Você já ouviu falar em fluxo circular de renda? Hoje vamos entender mais sobre os tipos de fluxo e a influência dessas movimentações na economia. Acompanhe o artigo!

O que é fluxo circular de renda ?

Entendemos a renda como a remuneração dos fatores de produção, mas é preciso determinar de onde vem a remuneração. Pensando nisso surgiu o conceito teórico de fluxo circular.

É basicamente a teoria de como funciona a economia. Pensando em que as empresas necessitam de recursos para produzir os bens e serviços em sociedade. Logo, são os cidadãos que ofertam a mão-de-obra, matérias-primas e maquinários. Em retorno, as empresas oferecem a remuneração. 

Para além disso, inserido entre o fluxo, existe o chamado mercado de bens e serviços. Lugar onde essas empresas irão vender o que produziram para as famílias. 

Você consegue identificar um ciclo ? Esse é o chamado fluxo circular de renda.

São os meios e transações pela qual a renda intercambia em sociedade. Logo, não existe a teoria de que ela surja de algum lugar, mas sim de que ela está sempre em transição de mãos e cenários.

Fluxo circular de renda: real e monetário

Alguns outros conceitos nos ajudam a explanar melhor essa representação econômica. A economia é dividida em fluxo real e fluxo monetário. O primeiro trata do esquema explicado no tópico anterior, com as empresas gerando demanda e as famílias suprindo-a. Já o segundo diz respeito ao pagamento e a movimentação monetária entre essas ações. Ou seja, o dinheiro ofertado como pagamento pelas empresas e o retorno de compra feito pelas famílias. Porém, apesar de simples e direto, esse esquema não representa fielmente a realidade, vamos entender o porquê.

A vida real e os fluxos econômicos

Quando colocamos a teoria em prática, percebe-se que outras centenas de fatores podem interferir nesse processo circular. Afinal, existem os bancos, o governo e mais uma centena de intermediários que realizam o câmbio dessa renda diariamente.

Dentro dessa realidade, os agentes que atuam como interferências no processo, são encarregados que demonstrar publicamente os meios e ferramentas utilizadas para lidar com o fluxo. É nessa parte, que entram as publicações oficiais.

Sendo o estado um desses agentes, ele deve disponibilizar uma plataforma para que todas as transações estejam esclarecidas a população. Já as empresas podem publicar documentos, editais, atas e informações necessárias para que o fluxo circular de renda seja claro e sem desvios.

Cabe à população consultar e acompanhar as movimentações da economia, os registros e as consequências de mercado. Entenda como publicar no Diário Oficial da União e continue acompanhando nossos conteúdos!